Redes Sociais: A Perigosa Vida Paralela

Redes Socias vieram para mudar o comportamento social de todas as civilizações. Pouco importa a tônica maior da cultura de um país, que mesmo assim, adaptada a cada cenário, a Rede Social mudou o conceito de pensar e agir da humanidade.

O mundo tornou-se atingível como o evento da internet, e as Redes Sociais aproximaram as pessoas, independente da geografia credo e cor. Elas trazem inúmeros benefícios, As, mas, as mudanças de comportamento, principalmente oferecendo voz a qualquer um, e criou um diferencial assustador. No passado, em épocas de Copa do Mundo, dizia-se que o Brasil tinha milhões de técnicos, pois cada um achava que deveríamos agir dessa ou daquela forma, e escalar o time de acordo com a vontade individual de cada um. As Redes Sociais causam sentimentos parecidos. Pessoas que jamais se pronunciaram a respeito de inúmeros assuntos, incluindo a política, se sentem com poder de opinar, e muitas vezes debater com paixão. Apareceram os “filósofos do Instagran e do Facebook”, emitindo conceitos e propondo revoluções de cultura e até de sistemas políticos. No YouTube todo mundo pode montar um canal, fazer discursos, propor conceitos, e até mesmo fazer exibições ao vivo ou montar “programas de TV”.

Foi possível “ressuscitar amizades” apagadas pelo tempo e distancias. Reavivar sentimentos adolescentes estando na maturidade, e ainda existem as redes de relacionamentos amorosos e até mesmo somente sexuais. Uma gama imensa de ofertas que permeia ao nosso novo dia a dia.

Mas, com tudo não são flores, as Redes Sociais também oferecem perigos diversos. Ao expor a vida cotidiana, onde é possível se ter uma ideia do padrão econômico e financeiro das pessoas, os oportunistas e estelionatários mapeiam seus golpes e vítimas. Existem milhões de lesados financeiramente, quando não são também lesados emocionalmente. Quanta gente acreditou num “personagem” perfeito que se apresentou como integro e ajustado às necessidades da vítima? Percebendo a vítima, o malfeitor molda suas artimanhas e prepara os botes de serpente que fere profundamente a tanta gente. Pessoas têm carências e desejos ocultos, para não dizer inconfessáveis. Quando a sensibilidade do observador é maior que o cuidado de se proteger da vítima, a peleja fica fácil para o enganador. Existem ainda, pessoas que para se afirmarem apresentam padrão financeiro que não podem sustentar, e este comportamento chama a atenção dos auditores da Receita Federal; independente de se tornarem alvos de bandidos, sem ter o suficiente para arcar com um pedido de resgate num possível seqüestro ou extorsão. A verdade é que tem dois lados: um de afirmação e prazer e outro de perigo de ser fiscalizado e cobrado por aquilo que diz ter e não tem, ou ser “requisitado” por um bandido sem os devidos fundos e meios para cobrir a exigência.

Toda fantasia tem um preço, e inadvertidamente pessoas ávidas de afirmação pessoal e satisfação de desejos não realizados, criam situações que não poderão se desvencilhar com facilidade. Quando descobertas sofrem o constrangimento, que em muitos casos se aprofunda em isolamento e depressão. Existem ainda os casos de sucesso rápido. Tudo é real, mas acontecido de forma tão acelerada que não há tempo para assimilar as mudanças e demandas, levando a um estado de espanto e torpor. A fama acontece via as redes Sociais e as pessoas se tornam “Digital Influense”. Iniciam-se os milhares de convites e participações, e muitas vezes o dinheiro entra rápido. Mas tudo muito rápido. Invariavelmente, em estado confusional, estas pessoas se deprimem e alguns casos chegam a extremos como o suicídio. Muitos irão perguntar, se tudo é lucro, porque lamentar e entrar em “parafuso”?

É simples: Tudo tem seu tempo de maturação e adaptação. O emocional das pessoas não relógios que se ajustam pela vontade dos acontecimentos. Motivos ruins são perigosos, mas, motivos bons demais em tempo exíguo são de igual periculosidade. Daí a importância de mensurar cada passo e estar atento ao gozo rápido dos elogios fortuitos no Instagram, Facebook, Twitter, ou Linkdin. Palavras são voláteis e tantas vezes irresponsáveis, mas todas, absolutamente todas produzem efeitos.

Por outro lado, do ponto de vista psicológico, muita gente, desenha ideais, fabricam tipos que gostariam de ser, e começam a viver estes personagens nas redes sociais. Naquele espaço todo mundo é bem sucedido, assertivo e faz sucesso sem parar. O grande perigo dessa relação fantasiosa é quando a pessoa mergulha nesse “mundo” tão profundamente que já não consegue voltar no mundo real. É comum o isolamento das relações familiares e de amigos, para viver intensamente a fantasia da internet. São muito diversas as manifestações de desvios de comportamento e muitos beiram as dificuldades mais graves da saúde mental. É preciso ter cuidado, pois é como um vício: no início dá prazer, mas com o tempo torna-se aprisionante e dominador. Cai-se na própria teia auto fabricada e que sem ajuda profissional externa poderá levar a situações de limite impensáveis. Por esta razão vemos cotidianamente pessoas isoladas numa mesa com dez pessoas. Cada um na sua, no seu mundo particular. É viciante como quem se masturba abusivamente entra numa aspiral de prazer que já não aceita o prazer sexual com o parceiro (a). É importante ter muitas relações, mas principalmente as que estão perto, a nossa volta e são tocáveis, O mundo das Redes podem parecer perfeitos mas não são reais. È viver numa fantasia de Alice nos Pais das Maravilhas. Mas, inevitavelmente, uma hora o “bicho pega”.

Rua Cônsul Francisco Cruz, 3 - Centro - Niterói/RJ

2019 | Design By Stilo