Os Netos de Geppetto

A campanha política começou e já estamos ouvindo as mesmas e velhas promessas. São aquelas que sempre escuto desde que me entendo como gente. O país do futuro está sempre patinando nas ideias e erros dos políticos. Por isso, já que quando criança eu acreditava em Pinóquio, hoje os políticos já são considerados netos do Geppetto. Mas como culpá-los? Se há culpados, esses somos nós mesmos, eleitores desses fazedores de fortuna. Não conseguimos conceber bem a ideia democrática de escolha de bons políticos. O sistema eleitoral não se apresenta transparente o suficiente para que se saiba ao certo quem é o cidadão que quer o seu voto. O que ele é ou foi. Se é um criminoso que ainda não foi condenado... Mas, prezado leitor, é naquela hora mais importante, onde temos um encontro com Sra. Urna Eletrônica, sozinhos, apenas você e ela, em quase amor de poucos encontros, pois nos encontramos de 2 em 2 anos com a mesma, que devemos escolher os nossos representantes. Muitos políticos de tão ruins que são, passam aquela velha ideia de que “agora vai dar certo”. Tem candidato que se orgulha afirmando que “há mais de 30 anos fazendo boa política”. Brincadeira com o povo. Um absurdo, não acham?

Em Niterói, tem vereador que tenta mais um de seus inúmeros mandatos e, no entanto, nada fez pela cidade, mas fez muito pela sua própria vida e de seus familiares. Não é possível isto acontecer, mas acontece e o eleitor surpreendentemente vota novamente neste maléfico político. Indago quantos Sarney ainda viverão sobre as terras brasileiras? Quantos Renan Calheiros continuarão a marchar sobre o pobre povão? Quantos vereadores e prefeitos tentarão ardentemente uma reeleição sob o tema de que “agora vai dar tudo certo, teremos tempo de concluir nossos projetos”. Ninguém sabe responder quando. Estamos nos meses que antecedem a eleição com encontros e mais encontros com todos os que se candidataram e sempre em busca de seu apoio. Alguns deles, lhe abraçam, lhe chamam de “amigo” e depois se eleitos, passam ao seu lado na calçada e simplesmente sequer lhe reconhecem... Como assim? Muitos, ainda fazem promessas, claro que em vão, de resoluções que sabem que não poderão cumprir, seja pela impossibilidade técnica, seja pelos obstáculos existentes no próprio corpo do sistema.     Enfim, chegamos a mais uma oportunidade de mudança, será? A oferta de condições de educação e saúde como base de um crescimento digno está sempre nos acompanhando nas falas e escritas dos políticos. No entanto, como se fosse não vale a pena ver de novo, nos deparamos com cada vez mais a falência da educação e saúde. Contudo, vale a frase: “se te falta educação, culpe o Governo. Mas se te falta Governo, culpe a si mesmo. Aprenda a votar!” (extraída do site de relacionamento/Facebook). Em resumo: acredito que o problema de não sabermos votar somente irá acabar quando a nossa educação melhorar para padrões ao menos medianos. E isso leva tempo e vontade. Muito tempo e muita vontade!

Rua Cônsul Francisco Cruz, 3 - Centro - Niterói/RJ

2019 | Design By Stilo