Os Mercadores do Caos

Nada mais adequado para nominar uma operação policial do que “Mercadores do Caos”. Numa perfeita alusão a ideia muito antiga dos mercadores de Roma e do Oriente, que eram vistos sempre com reserva por estarem sempre dispostos a negociar, trapacear e lucrar com qualquer produto ou influência que pudesse ser vendida. Na antiguidade os mercadores eram vistos como seres sem alma, bandeira, ideologia ou mesmo lealdade, a não ser a si mesmos. Daí, a denominação de “Mercadores do Caos” usada recentemente na operação que prendeu o secretário de Saúde Edmar Santos e o subsecretário Gabriel Neves, e mais diretores da OS IABAS, por desvios de dinheiro, fraudes, super faturamento e outros crimes.

Esta operação emblemática por mostrar que além de corruptos e criminosos são pessoas sem alma, pois se utilizam do Caos causado por uma terrível pandemia, para surrupiar valores, disfarçados de batalhadores do bem.

A estas pessoas foram confiadas tarefas de defensores da população e gestores dos valores e benefícios que pertencem ao Estado, e o Estado somos todos nós.


Ser corrupto e ladrão do povo já é bastante execrável, mas, roubar da saúde e num momento de crise sem precedentes, é muito pior. São os traidores, que enfraquecem a base de resistência pública, do socorro à população, principalmente aqueles mais carentes e sem alternativas. É declarar a morte de muita gente. É a falta total de ética, de moral, de solidariedade humana e até de espiritualidade.

Curiosamente, é exatamente no maior grau de necessidade que se encontram os “Mercadores do Caos”. E ainda não foram todos presos. Ainda falta muita gente, inclusive de maior grau de responsabilidade, pois foram colocados lá pelo voto popular; que é uma procuração dada para que tomem conta daquilo que é de todos. Este é um duplo traidor, e ser consequentemente deverá ser punido triplamente.

É preciso acabar de vez com esta maldição que paira sob as secretarias de Saúde do país, especialmente a secretaria do Estado do Rio de Janeiro.

É deprimente olhar o noticiário do país inteiro e perceber que temos mais predadores e safados do que pacientes atendidos com sucesso. A verdade é que além de tudo, de subtraírem o principal, o que resta vai tombando e assustando e maldizendo quem precisou ser tratado. Estes pacientes que morreram desvalidos deveriam ser contabilizados como mártires dessa corja, e o crédito de punição ser estendido, triplicado pelos graus de responsabilidade e de poder que tenham os envolvidos em tantas fraudes brasileiras. É muito triste olharmos envergonhados para nossas instituições, que foram criadas para nos proteger, e são as mesmas que produzem o caos nosso de cada dia.

Estes homens, se é que podemos chamar estes crápulas de homens, deveriam depois de restada a prova serem pendurados num poste em praça pública e “malhados” como Judas, até a fim dos tempos.

Pobre Estado do Rio de Janeiro, onde falta seriedade para gerir nossos recursos e sobram ladrões para nos roubar e sem piedade.

Cadeia neles!

Rua Cônsul Francisco Cruz, 3 - Centro - Niterói/RJ

2019 | Design By Stilo