Os Heróis Podem Esperar

Adoro ir ao cinema com meus amigos. É sempre mais animado. Assim, depois da sessão, não preciso ficar elucubrando sozinha sobre o que acabei de assistir. Converso com a minha turma, trocamos idéias, enfim, é bem mais produtivo. O cinema "termina" tomando um café expresso acompanhado de bolo de laranja. E não há nada melhor!

Por outro lado, em geral, quando estou com meus amigos "perco" um pouco a liberdade de escolher o filme que vou ver. Alguns dizem que eu só escolho filme "cabeça". Em geral, me chamam de "velha". Mas tudo bem, eu me rendo! E deixo – quase sempre – as companhias escolherem o filme.

Foi assim no último final de semana. Eu ainda estava um pouco relutante em tentar ver "Os Vingadores". Sim, eu quero muito assistir ao filme. Sem dúvidas. Porém, odeio cinema lotado e barulhento. Sem contar as longas e intermináveis filas, que tiram a disposição de qualquer um. Pois bem, meus amigos me convenceram a seguir para o shopping às seis da tarde na tentativa – um tanto quanto utópica – de ver as estripulias dos heróis da Marvel.

📷

Chegando lá, obviamente, só havia ingressos disponíveis para a sessão das dez da noite. E, é claro que eu não iria padecer no shopping por tantas horas sem fazer nada. No entanto, eu também não iria voltar para casa sem ir ao cinema. Eu já tinha chegado até ali e não iria recuar. De fato, não existiam grandes filmes em cartaz na briga pela minha atenção. No entanto, era necessário escolher um deles. Decidimos então enfrentar a sessão de "O Corvo". Eu assumo que, dentre todos os filmes que estavam passando, este parecia ser o mais agradável. E, de fato, foi ótimo! Adoro ser surpreendida por um bom filme. E foi exatamente o que ocorreu neste final de semana.

A morte do poeta Edgar Allan Poe é, até hoje, um grande mistério. E nada melhor do que uma história nebulosa para dar ensejo a um bom suspense. Sabe-se, entretanto, que ele foi encontrado vagando pelas ruas em estado de delírio e grande estresse. De acordo com relatos, Poe teria morrido poucos dias depois, em um hospital, sem nunca ter explicado o que aconteceu. No filme, quem dá vida a Poe é John Cusack ("Alta Fidelidade" e "Quero Ser John Malkovich"), que está irretocável na pele deste gênio literário. A película começa um pouco antes da morte do escritor. E o público, inicialmente, é apresentado ao universo deste poeta, e passa a conhecer sua personalidade forte, seus vícios e seus problemas financeiros.

Poe vivia uma fase interessante de sua via profissional. Ele já era conhecido como escritor e desejava, naquele momento, produzir obras mais introspectivas. Entretanto, o dono de um jornal, para o qual Poe vendia seus trabalhos, o pressionava a escrever suas tão famosas histórias de terror, pois eram muito lucrativas. No entanto, na cidade, começam a ocorrer crimes demasiadamente violentos e há fortes indícios de que tais atrocidades teriam como base as histórias de Poe. Ele próprio é considerado, inicialmente, suspeito, mas fica evidente a existência de um assassino em série que se inspira em seus livros.

Poe é então convocado pelo detetive interpretado pelo talentoso – e belo! – Luke Evans ("Os Três Mosqueteiros" e "Fúria De Titãs") para ajudar na busca pelo assassino, a fim de que tais crimes não se repitam. Contudo, os resultados das investigações não são nada animadores. E o filme fica ainda mais interessante quando surge a atriz Alice Eve ("Sex and the City 2" e "Ela é Demais Pra Mim"), interpretando o grande amor da vida de Poe. Ela é raptada e a condição para o resgate é das mais cruéis.

Enfim, o filme consegue captar a atenção e manter o nível de tensão até o último segundo da trama. "O Corvo" segue o padrão de qualidade de James McTeigue, diretor também responsável por "V de vingança", um grande sucesso do cinema. E o meu sábado terminou sim, numa cafeteria, tecendo excelentes comentários sobre a sessão. E já marcamos um bis para o próximo sábado. E, quem sabe, eu não consigo levar a turma toda para ver outro "filme surpresa"? Afinal, devido à grande demanda, o filme "Os Vingadores" não irá, tão cedo, sair de cartaz. Portanto, os heróis podem esperar!

Rua Cônsul Francisco Cruz, 3 - Centro - Niterói/RJ

2019 | Design By Stilo