O Super Jeffrey Jacob Abrams

Super 8 mm é uma versão aprimorada do antigo formato cinematográfico 8mm, porém, mantendo a mesma largura. Foi desenvolvida nos anos 60, pela Kodak. Dentre as vantagens da Super 8mm, esta apresentava um custo menor que os formatos profissionais (35mm e 16mm) e proporcionava uma imagem melhor que o do antigo 8mm.

São as imagens de uma Super 8 que dão suporte à trama homônima, assinada por Jeffrey Jacob Abrams. Para quem não está muito familiarizado, Abrams foi o criador da série “Lost”, porém, além de produzir outras séries (como o drama “Felicity” e a série de aventura “Alias”), foi o diretor de “Missão Impossível 3” e produtor de “Cloverfield – Monstro”. Abrams também dirigiu o mais recente filme da franquia “Star Trek”.

Como se vê, o que não falta à Abrams é currículo. Muito menos idéias! E está em cartaz com seu projeto mais autoral, "Super 8", que foi escrito, produzido e dirigido por ele. Desta vez, Abrams conta a história de um grupo de crianças que, em 1979, testemunhou um desastre de trem enquanto gravavam um filme amador de zumbis. O acidente desencadeia uma série de acontecimentos inusitados: pessoas começam a desaparecer, equipamentos eletrônicos param de funcionar, militares tomam a cidade, etc. Com os adultos perdidos em disputas burocráticas, cabe às crianças a tarefa de descobrir o que está acontecendo e ajudar a solucionar a conturbada situação.

A produção do longa é assinada por Steven Spielberg. Aliais, de acordo com Abrams, trata-se de uma verdadeira homenagem aos filmes que este criou nos anos 70 e 80. Abrams cita como suas principais referências os filmes "Tubarão" (1975), "Contatos Imediatos de Terceiro Grau" (1977), "Indiana Jones e Os Caçadores da Arca Perdida" (1981), "ET – O Extraterrestre" (1982), "Os Goonies" (1985), "Jurassic Park – Parque dos Dinossauros" (1993).

Os fãs de Spielberg irão notar verdadeiras "citações" de seus filmes em "Super 8". Assim como em "Tubarão", o alienígena é revelado aos poucos e nunca em sua plenitude – apenas através de movimentos rápidos de câmera e sombras que atenuam o vislumbre de sua aparência. O tom aventureiro, repleto de efeitos especiais, e os atores mirins – todos em sua melhor forma – nos levam a doces lembranças de "ET – O Extraterrestre". Também é impossível não se lembrar de "Parque dos Dinossauros" na cena do ônibus. Além disso, o “flare” (o efeito de reflexão da luz na lente da câmera) que aparece durante o desastre de trem é claramente inspirado em "Contatos Imediatos de Terceiro Grau".

Além das geniais citações às obras de Spielberg, muitas outras referências são feitas por Abrams no filme – aliais, o próprio é conhecido pelas inúmeras alusões que são marcas registradas de suas produções. Diversas menções tiveram como fonte de inspiração os filmes das décadas passadas, ao retratar, por exemplo, a vida no subúrbio americano e a dificuldade enfrentada, tanto por adultos como por crianças, quando estes sofrem algum abalo na base familiar. O diretor também ressuscita "o medo dos russos", que deu origem às milhares histórias sobre alienígenas à época da Guerra Fria. J.J. Abrams consegue compor um filme homogêneo, mesmo com tamanha vastidão de extratos históricos e cinematográficos. Poderíamos definir "Super 8" como uma colcha de retalhos que deu certo. Principalmente aos olhos de quem cresceu e amadureceu no decorrer dos anos 80 e 90, pois estes vão se deliciar com um filme contemporâneo, construído com a nostalgia dos tons e sabores de uma inesquecível infância. Bom filme!

Antes de terminar, porém, tenho duas dicas! Primeiramente, vale prestar atenção a todas as cenas em que as crianças estão fazendo suas próprias gravações. Os diálogos destas partes não foram escritos por Abrams, mas sim pelos próprios atores mirins. O diretor explicava como queria a cena, dava alguns minutos, e as crianças rapidamente organizavam o que tinham imaginado. Foi a forma que o diretor encontrou de deixá-las envolvidas na produção do filme, não só como atores. E conseguiu, com isso, deixar as cenas naturais e verossímeis. E, minha segunda dica: vale a pena acompanhar os créditos de "Super 8" para assistir à versão final do curta gravado pelas crianças durante o filme! Tendo dito isso, só me resta desejar "bom filme"!

Rua Cônsul Francisco Cruz, 3 - Centro - Niterói/RJ

2019 | Design By Stilo