Muito Estranho

Causa-me estranheza um presidente estimular, ainda que indiretamente, uma manifestação pública contra outros poderes da República. Por outro lado, fica claro ideia de defesa do seu mandato, quando também de forma estranha tudo se conclui que na calada silenciosa da noite parlamentares tramam, ou pelo menos sonham em provocar a queda do presidente. Aí fica a estranheza geral. Os dois lados se mobilizam de forma imprópria. Quando o Congresso luta para fatiar o orçamento, deixando o executivo no aperto financeiro, e que provavelmente não terá recursos para cumprir o que está na Constituição, referente à aplicação de recursos nos programas, fica a suspeita de que não querem que ele cumpra o que manda a Lei. Assim, ficará em falta e sujeito a um pedido de Impeachment, por descumprimento das metas.

Aliados negam a participação de Bolsonaro como mentor da ideia deste protesto e que inicialmente esta caminhada era apenas para protestar contra a derrubada da prisão depois da segunda Instância.

A coisa mudou de figura quando acidentalmente o General Heleno acusou os parlamentares de chantagistas. Aí fica a questão: que Congresso é este? Será que todos querem a mesma coisa? É claro que não! Primeiro porque existe uma ala que apóia o presidente. Existem outros que não são apoiadores, mas querem a segurança institucional e não participam desses conchavos parlamentaristas e golpistas. O presidente foi eleito democraticamente e assim tem conduzido seu governo, apesar de toda falação de que existe censura e desenho de uma ditadura próxima. Isso, na prática, é conversa de oposição. Não se sustenta verdadeiramente. O Bolsonaro tem esta forma rascante de tratar os assuntos, o que complica demasiadamente qualquer negociação. Mas, convenhamos, não pararam um segundo sequer, deste que ele assumiu, atacando, blasfemando, desconstruindo qualquer ação positiva... E mais ataques... Nunca vi um mandato tão assediado com este. E como o Bolsonaro é reativo, ficamos nesse imbróglio conflitante, enquanto a Nação clama por reformas e mudanças necessárias. Enquanto eles nadam em conflitos e interesses pessoais, o povo agoniza do lado de cá.

Tudo que oposição quer é que ele naufrague. Não importa que acerte aqui ou ali. Tem que dar errado, pois se acertar, mesmo que pouco, vai ser duro ganhar uma eleição dele. Aí, precocemente e de forma ilegítima, ficam postulantes a vaga de presidente a conspirar e atacar sem pudor. A Nação precisa caminhar e resolver seus problemas. Mas, a politicagem indecente não permite. Não importa a Nação, o que eles querem é a oportunidade de poder. O povo que se dane!

Costumo dizer que “classe é que desmoraliza a classe”. Nem todos são iguais, mas, na hora da régua burra, medem-se tudo do mesmo jeito, e o resultado é sempre injusto.

Rua Cônsul Francisco Cruz, 3 - Centro - Niterói/RJ

2019 | Design By Stilo