Migração de Fakenews?

Um estudo realizado nos EUA apontou que o uso do Facebook para leitura e compartilhamento de noticias caiu em detrimento a um crescimento exponencial do WhatsApp. Ainda, segundo a pesquisa realizada pelo Reuters Institute, o uso de redes sociais começou a cair nos Estados Unidos, conforme muitos jovens recorreram a aplicativos de mensagens como o WhatsApp para compartilhamento.

O uso do Facebook, considerada maior rede social do mundo para notícias caiu nove pontos percentuais em relação a 2017 nos Estados Unidos e 20 pontos para audiências mais jovens, mostrou uma pesquisa do Instituto Reuters com 74 mil pessoas em 37 mercados.


O levantamento revela a volatilidade de preferências dos consumidores, à medida que a indústria de notícias tenta lidar com o impacto da Internet e dos smartphones que transformaram tanto o modo como as pessoas consomem notícias quanto à forma como as empresas de mídia ganham dinheiro.

Facebook e Twitter ainda são usados por muitos usuários para procurar notícias, mas a discussão ocorre em aplicativos de mensagens como o WhatsApp, geralmente porque as pessoas se sentem menos vulneráveis ao discutir eventos em tais espaços.

O WhatsApp, fundado em 2009 e comprado pelo Facebook em 2014 por US$ 22 bilhões em dinheiro e ações, é mais popular que o Twitter em importância para notícias em muitos países, de acordo com o relatório.

Muitos entrevistados relatam ainda encontrar notícias no Facebook, mas preferem compartilha-las em grupos do WhatsApp para discussão com um conjunto mais próximo de amigos, invés de interagir na rede social.

WhatsApp e Instagram, também do Facebook, decolaram na América Latina e na Ásia, enquanto o Snapchat (que agora morreu) avançou na Europa e nos Estados Unidos, observou a pesquisa sobre diferenças regionais de compartilhamento de notícias.

Rua Cônsul Francisco Cruz, 3 - Centro - Niterói/RJ

2019 | Design By Stilo