Jornalzinho é o Cacete!

É claro que percebo que não há nenhuma intenção de desmerecer ou apequenar o jornal, quando fazem referências a ele como “jornalzinho”. Existe no Brasil uma cultura de se referenciar as coisas pelo tamanho aparente, esquecendo de valorizar conteúdos. Aqui se considera “jornalzão” o formato standard. Os tablóides, na nossa cultura, sempre existiram para fazer suplementos, uma edição comemorativa de um fato... Se estivéssemos na Inglaterra, onde mais de 70% dos jornais são no formato tablóide, e são respeitadíssimos, (inclusive os sensacionalistas), ninguém faria esta referência aparentemente depreciativa de “jornalzinho” para jornais aguerridos como o nosso.

As pessoas imaginam que todo jornal no formato tablóide é “jornal de bairro”, o que é um engano.

O nosso Jornal Diz não é um jornal de bairro, embora o tipo de distribuição física (gratuita) seja igual. O Diz é um jornal da cidade de Niterói. É claro, que pelo seu perfil editorial prioriza a Zona Sul, Região Oceânica e Centro. Mas. Também atinge a Zona Norte.

É importante salientar que a plataforma digital do Jornal Diz, se estende pelo Estado em 68 municípios, para 1 milhão e 800 pessoas, enviadas por e-mail. Além de autarquias, câmara de vereadores, deputados, senadores e tribunais. E é com interlocução constante, incluindo visitas ao nosso site (muita gente prefere baixar as edições no site) e a atuação expressiva em redes sociais, com maior visibilidade no Instagran e Facebook, onde também publicamos nossos vídeos.

Para nós que trabalhamos duro, principalmente para manter a independência, a coerência e liberdade de nos expressarmos, soa como uma disparidade, um desconhecimento, que provavelmente somos responsáveis. Mas, estamos nos posicionando, reagindo positivamente, para que nos vejam do tamanho que somos. A dignidade é a nossa marca. Daí, jornalzinho é o cacete!

Rua Cônsul Francisco Cruz, 3 - Centro - Niterói/RJ

2019 | Design By Stilo