Grosseria Explícita

Fui estacionar meu carro na Rua Otavio Carneiro, quase na esquina da Praia. Havia um caminhão parado com de motor ligado, ocupando a vaga existente. Sinalizei para o motorista e ele por gestos respondeu sugerindo que iria sair logo. Não foi tão breve, pois, aguardei mais de cinco minutos. Assim que ele deu a partida e me preparei para dar ré e estacionar, sem nenhuma cerimônia, uma mulher, desconsiderando a minha luz de ré e movimento, enfiou seu carro na vaga. Estacionou sem nenhuma civilidade. Minha filha desceu do carro e foi falar com ela, dizendo-lhe que estávamos a mais de cinco minutos esperando pela vaga, e sem dúvida o direito de estacionar era nosso. A mulher sem pestanejar esticou o braço para a guarda do estacionamento que já retirava o ticket e passava o troco. Questionei a guarda, pois, ela mesma tinha pedido para aguardar vaga mais à frente, enquanto esperávamos. Disse-lhe: vc sabe que estávamos aqui esperando a vaga, portanto, tire o ticket para nós e não para ela. A guarda de forma ríspida respondeu: não estou aqui para isso! Estou aqui para tirar o ticket para quem pagar primeiro. Não sou eu quem decide de quem é a vaga!

A minha filha percebendo o baixo nível, tanto da motorista, quanto da guarda do estacionamento, e que a insistência somente levaria situação ainda mais desagradável, resolveu desistir da vaga e da peleja. Afinal, se a prefeitura que deveria ordenar estas vagas, não o faz, não seríamos nós que iríamos enfrentar uma pessoa totalmente despreparada para a função, para o convívio social, além da grosseria e agressividade.

Fica o registro. Esquina de Rua Otavio Carneiro com Praia de Icaraí, dia 04 de outubro, às 17h30minh.

Olô Prefeitura! O que faz uma mulher dessas num serviço de utilidade pública? O contribuinte pede providências!

Rua Cônsul Francisco Cruz, 3 - Centro - Niterói/RJ

2019 | Design By Stilo