Golpes pela Internet e telefone.

Vivemos dias de isolamento e pandemia, e ao que tudo indica cada vez mais a nossa vida será regida pela internet, numa vida cada vez mais digitalizada. O reflexo negativo desta situação é o aumento significativo de golpes pela internet. Todo dia liga alguém tentando tirar algo de nós. Como não há segurança numa instituição como a ENEL ou mesmo CEDADE, ou equivalente, onde funcionários diversos que têm acesso a dados de cliente e contas, certamente repassam (vendem) essas informações para os bandidos e golpistas de toda ordem.

Como as pessoas estão confinadas e os Correios com dificuldades de entrega, muita gente ficou sem receber as contas e por conseqüência também não pagou. Aí, é que entra o golpe. Um funcionário desonesto vê na relação que existem contas em aberto de determinados clientes, inclusive os números de telefones de contato. Ele desvia estas informações para os falsários, que entram em contato com os clientes, se apresentam em nome da ENEL (por exemplo) dizendo ser uma empresa de cobrança a serviço, acusa o débito com informações e valores reais da conta, e pede o pagamento imediato para não ter que negativar o CPF do cliente. Como tudo parece normal e o cliente não tem as contas, pede uma segunda via, que será enviada por email.

Pronto, caiu no golpe! A fatura que virá (com todas as características da empresa credora) encaminhará o recebido para a conta dos bandidos. Resultado: vai pagar a conta duas vezes. Favorece o bandido e ainda continua devendo.

O ideal é após receber estas “faturas”, ligar para empresa concessionária para conferir os dados da operação. Mandaram alguma cobrança? O número da fatura é o mesmo? Infelizmente, teremos que ter mais trabalho para nos certificarmos e nos defendermos dos golpes, que irão crescer, e tenho minhas dúvidas se o poder público, especialmente a polícia, vai dar conta desses novos encargos.

Rua Cônsul Francisco Cruz, 3 - Centro - Niterói/RJ

2019 | Design By Stilo