Fatalidades, ou Não?

Não deixe a fatalidade tomar conta da sua vida.

Niterói tem registrado incêndios em imóveis comerciais. Semana passada foram cinco lojas no Centro da cidade e por sorte ninguém se feriu. Ainda bem...

Não é preciso ser pitonisa – e as autoridades sabem disso – para prever que boa parte dos prédios da Avenida Amaral Peixoto está em risco iminente de “fatalidades”, entre aspas.

O “miolo” do Centro, Marechal Deodoro, São João, Visconde de Itaboraí, na “Rua da Praia” o pedestre atento anda junto ao meio fio porque as marquises não são confiáveis. Ainda bem que a Prefeitura e os Bombeiros fazem vistorias periódicas, não fazem???????

De baixo para cima, o fogo. De cima para baixo as marquises. Opções desagradáveis.

Moro a muitos anos na região Oceânica e até pelo custo (combustível, estacionamento, etc.) prefiro o lazer perto de casa. No meu carro, uso etanol porque sai mais em conta (cada carro é um carro), não poluo o ambiente e o desempenho é muito melhor. Afinal, melhor ficar parado no engarrafamento diário com etanol.

É elogiável a ação dos donos de bares e restaurantes que tem programado ótima música ao vivo na Região Oceânica, que começa a receber casas boas e com preços justos.

No entanto, o incêndio que destruiu o Barkana na semana passada foi um raio devastador. Afinal, um comércio que existe há anos e com tradição, lambeu rápido, como um pedaço de isopor. E antes de ir para a R.O. Morei em Icaraí, e sei que o bar era querido pelos freqüentadores.

Assisti aos vídeos ao vivo no Facebook mostrando o quadro de luz em chamas e que rapidamente se propagou pelo toldo e tudo acabou. Foi triste.

Tão triste quanto às lojas no Centro, cujos donos tentam vencer, tentam sobreviver, mas ainda convivem com a paranóia de uma fagulha acabar com tudo.

E agora, quase fim de ano, fico arrasado imaginando os prejuízos e o desemprego que esses incêndios causaram. Será que tinham algum seguro?

Fica uma lição importante: faça seguro contra fogo da sua casa e do seu escritório, consultório... Do seu local de trabalho. Não deixe a “fatalidade” tomar conta da sua vida

No início desse ano e depois de décadas pagando seguro sem sinistro, um imóvel foi atingido por um incêndio e foi parcialmente destruído. Se não fosse o seguro, tanto o inquilino como o proprietário estariam amargando um sério prejuízo.

É claro que as seguradoras nós só conhecemos quando precisamos. Foi o caso. Demorou quase três meses para o pagamento da indenização, mas os boletos de cobrança nunca atrasaram um dia. Pediram até o CPF de Judas e cópia autenticada da certidão de nascimento de Ramsés III.

Só faltaram chamar o locador/proprietário de farsante ou golpista, perguntaram até se ele já havia recebido a indenização de outra seguradora. Então é assim? As seguradoras perguntam ao cliente se ele está aplicando um golpe? Isso mesmo. São ignorantes e desrespeitosos. Mas pagaram...

No caso do Barkana, o bar está funcionando parcialmente no anexo “Vila Barkana”.

O que mais me deixou pensativo foi o número de pessoas que lamentou o incêndio nas redes sociais. Uma grande onda de solidariedade se formou.

Niterói é assim. Uma cidade com bom nível educacional o que faz a população se encontrar muito mais atenta ao que acontece na cidade do que imaginam os prefeitos e vereadores.

O niteroiense está inteirado do que acontece na cidade. Ele ama a cidade e só fica olhando o que a politicagem faz corretamente ou não, e ano que vem vai cravar silenciosamente o seu julgamento na urna, na eleição para prefeito e vereadores.

Está na hora do município mostrar que percebeu o problema e tentar ajudar as vítimas de incêndio. Antes que me perguntem, não falo em ajuda em dinheiro, mas sim, ajuda técnica para que a recuperação das lojas seja mais rápida possível.

Com relação a Amaral Peixoto, uma Avenida que já foi a principal da cidade hoje transformada em lixo urbanístico, qual seria a solução?

Com certeza não seria a resposta dada por um sujeito de um bar situado na Rua Gavião Peixoto, 100, esquina com Pereira da Silva. Quando um cidadão reclamou que há uma infestação de ratazanas no estabelecimento, que é vista depois que o botequim fecha, à noite. O sujeito respondeu “isso é problema da prefeitura”.

Se de fato é, a prefeitura deveria lacrar aquele pé sujo imundo.

Rua Cônsul Francisco Cruz, 3 - Centro - Niterói/RJ

2019 | Design By Stilo