Falsas Verdades

É impressionante como tem gente que acredita no inacreditável. Eu mesmo já acreditei e posso acreditar numa inacreditável história amanhã, o que nos leva a crer que somos portadores e hospedeiros de fake news particulares, pois ficam dentro de nós como verdadeiras verdades.

Há muito tempo e por culpa principalmente do Whatsapp, somos vítimas da nossa inocência. Vítimas da nossa fácil credulidade e da nossa boa-fé.

Logo nós que nos intitulamos por várias décadas como “malandro carioca”. Mas o malandro aqui indica “experto”, mas também pode ser aquele que sempre que “se dá bem”.

Para ser um ser experto diante do whatsapp temos que ser como monges porque tudo deve passar por filtros em nossa mente. São filtros existenciais, emocionais e até materiais.

Nos grupos do whatsapp recebemos mensagens de todos os tipos, claro. Essas mensagens vão de mero “bom dia” cheio de flores e xícaras coloridas, passando por mensagens de ódio e violência, fazendo sempre uma visitinha no bipolar problema entre esquerda e direita, mensagens de cunho erótico, religioso, humor, futebol e curiosidades.


No meio dessa salada de opiniões, críticas, declarações inusitadas e etc., sempre encontramos as fake news. Essas estão batendo recordes gigantes.

Mesmo quando temos cautela no que recebemos achamos que é verdade logo de cara. É o tal efeito “gente boa” ou ainda, a vontade de ser o primeiro a dar a notícia, fazer algum sucesso, mostrar-se antenado em tudo.

Neste caso, como estamos com a ansiedade em alta, acabamos por dar um tom ridículo aos nossos “encaminhamentos” de fake news.

Foi numa dessa que aprendi (com muita dificuldade) a não propagar fake news por aí.

Prefiro uma piadinha aqui, outra ali. Comentar sobre futebol e até entrar numa suave discussão sobre o STF e etc.

Mas, vejo que tem muita gente fora do ar. Principalmente no já defasado Facebook, um verdadeiro palco de lamentações, reclamações e até xingamentos.

Os tapas e as agressões dos indignados começam quando chamam os de direita de “bolsominios” e os de esquerda de “esquerdopatas”.

Até aí, digamos, são expressões medianamente ignorantes.

Mas quando o pessoal de direita é xingado de “gado” e os de esquerda de “petralha”, numa alusão aos Metralhas, bandidos criados pela Disney, toda a incompetência, falta de educação, ausência severa de inteligência e falta de argumento emergem como uma ilha vulcânica no Oceano Pacífico.

Por isso, chamo de bipolaridade, porque você tem um “amigo” de Facebook que não tem o mesmo pensamento que você. Para disparar o outro “eu” desse seu “amigo”, basta você escrever no post dele, “não concordo”. Pronto. Ele vai pular, escrever ignorantes imbecilidades e esse “amigo” vai ficar para outra encarnação, certamente.

Por isso, tentar controlar a nossa raiva enquanto estamos navegando nas redes sociais é uma tarefa para poucos.

Agora, controlar as fake news pode ser bem mais fácil. Sempre tento verificar a veracidade no site boatos.org. Nele você encontra alertas para um verdadeiro festival de mentiras.

A última fake news que circulou fortemente foi a inventada reunião do filho de Carlos Slim, dono da Claro, Net e etc. (uma das maiores fortunas do planeta) com a Globo onde teria exigido que o Jornal Nacional parasse de “bater” no governo Bolsonaro. É totalmente fake. Até o nome do filho de Carlos Slim estava errado.

Mas tem gente que acredita, passa adiante e ainda briga por isso. Lamentalvelmente...

Rua Cônsul Francisco Cruz, 3 - Centro - Niterói/RJ

2019 | Design By Stilo