Escrotizando o Brasil

Assisti constrangido as declarações do presidente Bolsonaro, após a despedida e fala do ministro da Justiça Sergio Moro. Além das desmedidas expressões usadas, como gírias e palavras popularescas, ele insiste no uso de linguagem de baixo botequim. Uma me marcou mais e talvez defina o perfil educacional e emocional deste político. A criação do verbo “escrotizar”; foi demais!

A cena, mais parecia um sorteio público de loteria, onde os ministros presentes, expostos e constrangidos, assemelhavam-se a prêmios a serem oferecidos no sorteio. As caras e gestos de cada um devem ser observados, pois a linguagem corporal diz muito. Alguém observou as expressões faciais dos presentes? Quem não observou deve rever o vídeo. Ele diz muita coisa.

Foi nítida a perda de rumo quando o presidente disse que Moro teria condicionado a saída do auxiliar em troca de uma vaga no STF. Essa baixou o nível além do inimaginável, Uma atitude tão baixa e vil não condiz com o perfil do Sergio Moro. Bolsonaro acuado é muito perigoso. Ele, equivocadamente, lançou esta lama irresponsável, na tentativa de equilibrar o jogo. Mas foi um desastre.

Ainda que seja, palavra contra palavra, ninguém acredita em tal disparate. Só mesmo os seguidores fanáticos pelo capitão-comandante, ainda o defendem. Ele está indo ladeira a baixo, lamentavelmente. Tudo que não precisávamos neste momento, e no meio de uma crise econômica provocada por uma pandemia (que já tirou a vida de tanta gente), era uma extrema crise política, com desfecho imprevisível.

Ele realmente “escrotiza” a Nação!

Rua Cônsul Francisco Cruz, 3 - Centro - Niterói/RJ

2019 | Design By Stilo