Desigualdade Jurídica


Fico desalentado ao assistir como somos tratados de forma diferenciada, inclusive legalmente. O desembargador Siro Darlan está sendo acusado de vender sentenças. Ou seja, os Garotinhos e Rosinhas que foram recentemente presos e não ficaram nas grades nem 24 horas, usufruem de privilégios, com alguém que está sob suspeição. Certamente a Policia Federal, não vai levantar uma suspeita deste nível se não tiver indícios muito robustos. Afinal, “invadir” um gabinete de um desembargador no Palácio da Justiça, deve ter muitas provas na manga. Agora o que espanta, é que se comprovado os delitos, ele vai apenas ser aposentado, e com um salário digno de um magnata. Isso está muito errado. Comete crime e recebe recompensa? E imagine, o motorista do desembargador é proprietário de imóveis no Leblon, que é o metro quadrado mais caro do Rio de Janeiro... E não são imóveis simples e antigos! São imóveis sofisticados e caros. Dizem que ele é o “contato”; aquele que negocia as sentenças. É o Queiroz do desembargador, e pelo visto muito mais abastado.

Vai dizer também que negocia com carros, ou que vende Avon de porta em porta?

Pobre de nós mortais. Se esbarrarmos numa autoridade dessas, estamos fritos. Vai nos prender e condenar. Mas, com que autoridade moral?

Brasil, Brazil, que tipo de país é este, minha gente?

Rua Cônsul Francisco Cruz, 3 - Centro - Niterói/RJ

2019 | Design By Stilo