Começa a Embolar a Política de Niterói

Os partidários de Wellington Moreira Franco torcem e defendem que ele deveria voltar a ser prefeito de Niterói. Entretanto, é preciso avaliar, que depois de ministro, a esfera de atuação dele passa a ser em níveis diferentes. Fala-se que na reforma ministerial ele irá ocupar o Ministério do Trabalho no lugar do tão combalido Carlos Lupi. A pressão sobre Lupi aumentou muito esta semana e pode ser que ele não dure até a reforma. Assim saberíamos se a falação de corredores tem fundamento: ou ele vira ministro do Trabalho ou na reforma ministerial o que virá? Seria um complicador interessante.

O PMDB de Moreira não é o mesmo do governador Sergio Cabral, que a esta altura abraça Zveiter e Rodrigo Neves, enquanto outros companheiros de partido oferecem apoio a Jorge Roberto Silveira. “Briga de cachorro grande”.

Alguns receosos tentam ressuscitar a desistência de Moreira na eleição contra Godofredo Pinto, como se fosse possível neutralizá-lo. A verdade é que Moreira Franco é indubitavelmente um nome que se deve respeitar. Ele é um dos mais habilidosos políticos deste lote dos últimos 50 anos.

Um dado interessante é que as últimas grandes obras, obras de interferência real no nosso sistema viário, foram feitas por ele. Depois, nada aconteceu neste perfil.

As obras do Jorge Roberto são de caracteres marcantes e importantes sim, mas não foram obras de grande monta do ponto de vista viário. Fez e continua fazendo o Caminho Niemayer, que tem sua importância histórica e determinante na mudança de imagem da cidade, mas não são obras de interferência real na transformação pedida pelos últimos e urgentes momentos do município. Para liberar esta absurda quantidade de obras, principalmente em Icaraí, teria que ter um planejamento e execução de um projeto viário que comportasse esta demanda gerada por tanta concentração populacional, de renda alta e motorizada aos montes.

Para problemas desta espécie o Moreira Franco resolveria melhor. Ele sabe fazer avenidas e comunicantes. É mais o seu perfil.

Quando se fala em Moreira é preciso dizer, que esta leva de políticos, especialmente o Jorge Roberto, são todos descendentes dele, como uma espécie de “filhotes”. Quando Jorge ainda começava ensaiar os primeiros passos na política, Moreira já era prefeito de Niterói e deu a ele o cargo de assessor de comunicação. Ali ele aprendeu na prática os primeiros movimentos palacianos da política. Nestes últimos vinte anos as relações de todos variaram com é característica do universo da política. Mas, a bem da verdade, Moreira esteve no jogo o tempo todo e ainda prestou relevantes serviços ao município, ajudando inclusive a Jorge Roberto.  Isso só demonstra que há espaço para interferir na política de Niterói. Basta aparecer um nome de peso ou um candidato que represente uma opção diferente da mesmice contemplativa e estagnada que estamos.

É possível que Zveiter e Rodrigo Neves até façam um pacto de não agressão durante a campanha e que o vencedor entre os dois contará com o apoio do outro no segundo turno, na esperança de vencer Jorge Roberto, que ainda que esteja desgastado, confirmando a sua candidatura irá para o segundo turno. Aí , entre Rodrigo e Zveiter, é matematicamente provável que Zveiter vença, pois foi mais bem votado para deputado em Niterói.

O PSDB está preparando uma candidatura ao executivo. Pretende oferecer uma opção inteiramente nova, como forma de contrapor o modelo vigente. Pode avançar e dividir os votos da classe média.

Já imaginaram se Moreira resolve se candidatar? Vai ser preciso muito espaço para desembaraçar o novelo. Por hora, está tudo embaralhado.

Rua Cônsul Francisco Cruz, 3 - Centro - Niterói/RJ

2019 | Design By Stilo