Cassar a Concessão do Consórcio Oceânico

É inadmissível o que acontece com os ônibus da Região Oceânica. Depois das vinte e duas horas ficam totalmente irregulares, e chegamos ao absurdo de ficarmos no ponto mais de duas horas esperando que passem. Ontem, em Icaraí, cheguei ao ponto da Rua Gavião Peixoto às 21h45minh. Observei que todos os ônibus que se dirigem para aquela direção estavam escassos, incluindo Sapê e Rio do Ouro.

Para Itaipu é uma aberração. Foi ficando tarde, deserto e só passou o 38 A depois da meia noite e vinte. Ou seja: duas horas e trinta e cinco minutos de espera. Constato que não há o menor respeito pelo usuário, e que realmente quem manda nessa cidade são os donos das empresas de ônibus. Fazem o que querem e não temos para quem apelar. A prefeitura não é apenas omissa. Ela é submissa.


É muito triste para que não pode ter um carro e depender da vontade desses empresários, que são concessionários das linhas de ônibus, mas, como todo mundo sabe, ignoram o fato e o prefeito baixa a cabeça para eles, vergonhosamente.

Olha aí pessoal que depende de ônibus na Região Oceânica: na hora de votarem, lembrem-se bem que se elegerem o candidato do prefeito, o tal de Grael, vai continuar tudo a mesma coisa. Vamos continuar sem transporte. Por esta simples razão, votem em qualquer um, com tanto que não seja o candidato número 12. Não caiam na conversa de “continuidade da obra”, A continuidade vai também perpetuar esses pactos escusos, do tipo que levaram todos eles para cadeia.

Mas lembre-se que quem precisa se libertar somos nós. Quem tem carro não sabe a dor que é morar em Itaipu e Piratinga, e depender desse transporte desumano, escasso, e quando passa, está muito cheio, contrariando as recomendações das autoridades de saúde.

Estas digníssimas autoridades da saúde é que deveriam interferir e acionar o Ministério Público. Eu até tentei, fui até lá na sede do MP, na Rua Gomes Machado, mas, nem me deixaram entrar. Disseram-me para escrever uma carta. Como é que pode?...

Este Consórcio Oceânico é passível de sansões e multas, e se insistirem, que seja cassada a concessão. Somente o clamor público ruidoso será capaz de acordar a Justiça.