Cadeia é Pouco

Os anos passam e já assisti todo tipo de barbaridade e descaso com a vida humana. Mas, quando imagino que já vi tudo, surge uma pandemia de um vírus matador, e que nos faz arregalar os olhos. Qualquer um pode ser o próximo a carimbar o passaporte para outro mundo.

Mas, o que mais me espanta não é a letalidade do vírus. Isso faz parte da natureza dele, exercendo o seu potencial devastador. O que mais nos constrange e ver um bando de safados públicos se aproveitando da situação desesperadora para superfaturar, comprar inutilidades com o dinheiro público, desviar verbas necessárias a salvação de milhares de vidas, e ainda fazer discursos auto-defensivos num proselitismo vulgar. Dizem que são as melhores e mais honestas pessoas do mundo. Aliás, esta prática de se auto sacramentarem como honestos já extrapolou. Basta de novos Lulas!


Os homens, ditos “homens públicos”, guardiões dos nossos recursos, são os primeiros a roubar descaradamente. Absolutamente tudo!

Estes bandidos da saúde roubam o direito à manutenção da vida de milhares de pessoas. Estes casos de compra de respiradores que não se prestavam para a função, hospitais de fachada, valores, cinco ou seis vezes acima do real, é o máximo da frieza assassina. O que merece esta corja?

Um temível assaltante é execrado por ter roubado e matado uma pessoa inocente. É um crime terrível e, em minha opinião, digna de condenação a uma pena de morte. Tirou uma vida e é o bastante. Agora, um governador, um secretário de Saúde com seus auxiliares, que roubam e desviam os recursos da saúde, matando milhares de pessoas por falta de atendimento digno e insumos, merecem o quê? É o oportunismo mórbido e insano. Falam tanto de falta de empatia, de frieza e desrespeito às pessoas, especialmente os mais necessitados, e aparecem pelo Brasil milhares de ladrões sistemáticos, agindo no atacado, friamente. É saber que o dinheiro desviado da Saúde vai fazer muita falta, e esta falta vai matar milhares de pessoas. É mesmo um comportamento genocida; verdadeiramente!

Nunca defendi a pena de morte. Diante do que vejo, mudei de opinião. Cadeia com direitos a progressão de regime, tornozeleiras e outras vantagens, é muito pouco para esta corja. Que seja concedido o direito de defesa, mas, concluída a ação penal e restando a culpa comprovada, devem ir para execução sumária. Uma espécie de justiça preventiva, pois certamente, estando vivos voltarão a atuar e matar muitos mais. Uma questão de saneamento e segurança. Estas pessoas não merecem piedade e nem perdão. Precisamos de Justiça que seja justa!

Rua Cônsul Francisco Cruz, 3 - Centro - Niterói/RJ

2019 | Design By Stilo