Cada Um no Seu Quadrado


Vocês noticiaram no site do DIZ e nas Redes Sociais que o advogado Adroaldo Peixoto está recuperado da enfermidade que o impedia de disputar a eleição para prefeito em Niterói; e que agora ele estaria apto a retornar à disputa.

Conheço bem esta questão, e posso afiançar que outras dificuldades existem para que esta candidatura se afirme novamente. Não por parte do Adroaldo e até pelo desejo dos pré-candidatos a vereador, que todos desejam que tudo se acerte e possam disputar uma eleição com cabeça de chapa do próprio partido; e com discurso ideológico idêntico.

O problema é outro, e exige mais atenção. No momento que Adroaldo desistiu da disputa, o Partido da Rede iniciou tratativa de “adesão” à candidatura oficial do Axel Grael. Como foi uma iniciativa do diretório Municipal e não houve uma ampla consulta aos pré-candidatos a vereador, a iniciativa de “coligação”, ou de apoio mútuo, (desde que coligações proporcionais não são permitidas e nem somam votos), desapontou a maioria dos pré-candidatos, dos filiados e da militância. A única “vantagem” nisso é pegar uma carona na candidatura majoritária, que é a da situação, e conta com a máquina da prefeitura. As insatisfações brotaram nos pré-candidatos por falta de afinidade com a candidatura do Axel, mas, principalmente por oposição ao prefeito Rodrigo Neves. Convenhamos que fica difícil para estes novos “candidatos”, que vinham com um discurso de oposição, incluindo alguns mais incisivos e até mesmo agressivos, de repente, adentrar no recinto new-pedetista, que eles discordam, para caminhar como velhos companheiros. Convenhamos, é difícil...

O diretório municipal, que providenciou a “aliança” com o PDT, atropelou o destino da eleição, e existem na Rede alguns dirigentes que não são simpatizantes a esta “junção”. Nada contra o PDT, mas divergências com Rodrigo Neves e alguns dos seus “parceiros”. Politicamente é possível sublimar estas diferenças quando não se tem nenhuma opção. Mas, agora como a recuperação física do Adroaldo Peixoto, que tem apoio dos pré-candidatos e é uma incontestável liderança, a situação mudou com a oferta de opção.

Para a Rede fazer um destrato com o PDT, ou melhor, com o Rodrigo Neves, não é tão difícil assim, embora exista a necessidade de uma atitude pró-ativa e pragmática, por parte do presidente do diretório municipal; que ao que parece, é o mais propenso a adesão à Rodrigo Neves.

E esta é a realidade! O adesismo é um ato de submissão e confissão de incapacidade de seguir com os meios da própria sigla. A Rede neste panorama precisa romper, e naturalmente os adeptos ao acordo fazem resistência. Estar alinhado com a situação é mais “confortável” e exime o dirigente da responsabilidade, no caso de ter algum insucesso. É uma forma de terceirizar a responsabilidade. Daí, acredito que haverá resistência. Mas, nada que não possa ser quebrada por parte do diretório Estadual ou mesmo Nacional.

Adroaldo não diz que sim, mas, está claro que se o Partido concordar, ele vai disputar a eleição. Melhor assim, cada qual no seu quadrado.

Rua Cônsul Francisco Cruz, 3 - Centro - Niterói/RJ

2019 | Design By Stilo