Bolsonaro: Fim de Semana com Refresco

Depois de dias tensos com a prisão do Queiroz, seus “ativistas” sendo presos, um advogado delirante que dá versões inexplicáveis e incabíveis, Bolsonaro, baixou o tom, buscou aproximação com o Congresso e com o Supremo. Muitos disseram que era medo e que ele estava tentando acrescentar mais uns meses de sobrevivência na presidência. Medo ou não, foi uma atitude legítima e inteligente. Repararam como melhorou? Se ele ficasse quietinho e menos arrogante, poderia tomar suas atitudes sem grandes atritos e prejuízos. Já teve baixas demais no seu governo e sacrificou tanta gente. Já é hora de aplanar o terreno para poder governar.

Para quem enfrentou conflitos em todos os dias do seu governo e agora vendo a calma que foi esta semana, poderia aprender e por em prática do comportamento sem ruídos. Ainda teve uma vitória grandiosa, quando dois desembargadores livraram a pele do Flavio Bolsonaro, mandando o seu processo das “rachadinhas da ALERJ” para a segunda instância. Vai ganhar um tempinho nisso aí, vai dar uma refrescada no pescoço. Mas, o Flavio não se livrou dos fatos gravados no processo do Juiz Itabaiana. Vai levar tudo para cima.

Agora é só rezar para o Queiroz continuar calado e mandar este advogado “angelical” ficar em silêncio. Ajudaria na refrigeração das tensões. O final de culpabilidade garantida vai ser difícil de conter. A menos que, o operador Queiroz, de forma suicida, sente em cima dessa granada livrando o corpo do “bondoso patrão senador”.

Por hora, é só um fim de semana com refresco. O que virá? Depende da aparição da mulher do Queiroz. É só manter o ventilador desligado, o balde de dejetos tampado e as crianças fora da sala.