Agressões Oportunistas


Atendendo a uma convocação da defesa do ex-deputado Jorge Picianni, depuseram no Tribunal Regional Federal da 2ª Região, os deputados Estaduais Zaqueu Teixeira (PT), Comte Bittencourt (PPS) e Paulo Ramos (PDT). Até aí, nada de mais, considerando que um depoimento à Justiça deve ser verdadeiro e cumpre-se o objetivo da ampla defesa, concedida por direito ao réu. Todos eles, que são reconhecidamente bons parlamentares e independentes em suas atuações na ALERJ, disseram, mais ou menos o mesmo conteúdo: “as relações com Picianni eram apenas parlamentares, que em nenhum momento o ex-presidente fez ou insinuou qualquer atitude ilícita, que eram tratados com respeito, urbanidade e da forma mais republicana possível. E Picianni, sempre tratou a todos igualmente, cumprindo tratos, promessas e era gentil e obsequioso”.

Não era para se esperar outro comportamento dos depoentes, pois retrata a mais absoluta transparência da verdade. Todos os 72 deputados eram tratados assim. Isso pode ser confirmado com o mais rigoroso e radical membro da oposição, o deputado Marcelo Freixo.

Para ser justo e analisar sem paixão tendenciosa, o comportamento de Picianni enquanto presidente da ALERJ, difere completamente do comportamento que a ele é atribuído, praticando delitos junto com Paulo Melo e Albertasi; ou mesmo reflete as suas relações com Sergio Cabral.

Daí, maliciosamente, oposições raivosas, em redes sociais fizeram comentários desairosos e perniciosos contra os parlamentares, como se cumprir a obrigação legal implicasse em participação nos delitos de Picianni, ou mesmo Paulo Melo. Como estamos em período eleitoral, opositores lançam mão de expedientes nem sempre justos e éticos. Lamentavelmente.

Rua Cônsul Francisco Cruz, 3 - Centro - Niterói/RJ

2019 | Design By Stilo