A Vida é um Soco no Estômago

Aproveitei alguns dias de férias para fazer o que mais gosto! Tardes indefectíveis entre Botafogo e Gávea, divertindo-me entre sessões de filmes maravilhosos. Alguns românticos, bem água com açúcar. Outros, mais densos. E foi oscilando entre sorrisos e lágrimas que driblei o Natal e o Ano Novo.

Um dos que mais gostei foi "Românticos Anônimos" ("Les Emotifs Anonymes", no original). O diretor Jean-Pierre Améris, do belíssimo "Eu me Chamo Elisabeth” ("Je m'apelle Elisabeth", no original), registra magistralmente a história de amor entre um dono de uma fábrica de chocolate e a gourmet que trabalha para ele. O casal é muito romântico, porém, é também demasiadamente tímido. E é nada menos que o chocolate que unirá a dupla. As situações inusitadas, a leve cadência do filme e o belo entrosamento da dupla de atores (Benoît Poelvoorde e Isabelle Carré) faz de "Românticos Anônimos" uma obra prima!

Gostei muito também de "A Guerra Está Declarada". E, a meu ver, o maior trunfo do da película foi ela ter sido escrita, dirigida e protagonizada por alguém que viveu exatamente esta história: Valérie Donzelli. Sim, dado o cunho autobiográfico, muitos acreditavam que o filme derraparia, findando como um grande fiasco. Porém, nada disso aconteceu. Valérie, neste seu segundo longa metragem, conta o episódio mais doloroso de sua vida: a doença de seu filho Adam, que sofre de um tumor no cérebro. Na tela, o casal é interpretado pela própria Valérie Donzelli e pelo pai de seu filho, Jérémie Elkaïm. Ela conta como a vida de um casal jovem e apaixonado muda com a chegada de um bebê. Porém, até esse ponto, é de conhecimento geral que um filho abala os alicerces de qualquer relação. Entretanto, é quando o casal começa a questionar se o filho foi ou não "bem vindo", que esta criança apresenta uma doença gravíssima, que pode “retirá-la” da vida dos pais. Trata-se de uma mistura de dor, remorso, medo, força, ansiedade. Enfim, tudo em 100 angustiantes minutos ininterruptos! O filme não esconde nem um momento dos bastidores da doença, tecendo com leveza a vida de dois jovens que precisavam superar o insuperável para dar ao filho doente a energia necessária para seguir em frente. Citando Clarice Lispector, "A vida é um soco no estômago".

Outro filme bastante denso que assisti é para uma platéia igualmente "preparada". Gosto de filmes que questionam os valores, que nos arrepiam e nos tiram da zona de conforto. E é exatamente o que "Triângulo Amoroso" ("Drei", no original) faz. Isso não significa que sejamos obrigadas a concordar, compactuar ou até mesmo nos submeter a qualquer das propostas dos filmes. Porém, é interessante quando eles nos convidam a refletir sobre a vida. Vale lembrar que o diretor Tom Tykwer, dispensa apresentações. Foi ele o responsável por "Trama Internacional" e "Corra, Lola, Corra". Desta vez, Tykwer conta a história de um casal que vive em Berlim e que estão prestes a comemorar vinte anos de união. Tudo ia bem até que a esposa inicia um caso extraconjugal. E o marido faz a mesma coisa. Caso os personagens não se conhecessem e nunca se encontrassem, tudo bem. Porém, não é bem isso que acontece. O filme mistura comédia e drama, levando uma pitada de suspense. Não há dúvidas de que o desfecho desagradará a muitos. O que não se pode perder de vista é que se trata de cinema, de arte, de idéias e de questionamentos. Assistir a obra com a mente aberta é a melhor receita para momentos de reflexão – e não de indignação.

Creio que estas sejam boas dicas! De fato, excetuando-se o primeiro, não são filmes leves. São o que gosto de chamar de "filmes cabeça"! E, por falar nisso, fiquei feliz em saber que o Cinemark Plaza Shopping tem agora sessões cults de cinema. Ocorrem apenas nas noites de terça e quinta-feira. Um horário em cada dia. Talvez eu esteja dando os parabéns tardiamente - a falha é minha de não saber quando tal iniciativa começou. No entanto, me anima muito saber que ela existe. Vejo-a como uma sementinha, um belo começo. Sou órfã confessa do "Estação Icaraí" e sei que o povo de Niterói merece cinema de qualidade nas telinhas! Obrigada, Cinemark, pelo presente! Bons filmes, pessoal, e até a próxima!

Rua Cônsul Francisco Cruz, 3 - Centro - Niterói/RJ

2019 | Design By Stilo