2020 em Niterói, Como Será?

Esta matéria não tem a pretensão de fazer previsões astrológicas, exercícios de adivinhação ou imersões mediúnicas sem propósitos. Preferimos focar em dados reais e as relações de força e possibilidades, usando o tirocínio lógico com pitadas de intuição e conhecimento dos fundamentos. É claro que por medida de desencargo de consciência consultamos alguns especialistas. Gente séria, que se nega a ter nestas “canalizações” e comunicação com o inconsciente coletivo, um meio de vida. São profissionais de outras áreas: um matemático e um físico, que se debruçou sobre a física quântica, procurando o nexo causal de muitos eventos e distorções da percepção humana. Estes amigos consultores preferem o anonimato, pois não se vangloriam de possíveis acertos e previsões futuras.

Poderíamos fazer consultas genéricas com videntes, astrólogos e pai de santos, pondo o foco na realidade global. Mas, estas práticas são as mais comuns, o que não significa que algo que aconteça na Sibéria, Austrália ou na Patagônia não nos interesse ou não exerça influência sobre nós. Preferimos focar na realidade mais próxima, sem a pretensa arrogância dos videntes aventureiros, que de forma irresponsável lançam vaticínios, como quem joga dados para o ar na esperança de que a sorte lhe contemple com a derrota ou a desgraça de outros para fazer valer as suas “previsões”.


Temos 2020 pela frente e não podemos desprezar alguns fatores que lhe proporcionam características, que de forma, menos grave, influenciam os fatos. É apenas um reconhecimento de alguns valores. Por exemplo: Inicia-se uma nova década, marcada pelo numeral dois. Até então, desde 2010 até 2019, era a característica do número 1. Muita gente vai dizer: mas, que diferença faz? É só a troca de um número por outro. Entretanto, baseado na física quântica, tudo é energia, e com vibrações diferentes; e estes fatores influenciam os fatos. Este ano que entra é um duplo vinte, que na sua soma numerológica significa o quatro, que ao ser dividido resulta em dois e que tem resto zero; que é um numeral neutro. Cada número tem suas características, propriedades e áreas de influência. O quatro é sólido, equilibrado, assim como todas as bases, mesas, cadeiras, etc. simbolizam as quatro estações do ano, e o elemento terra. É o numero das construções. Este será o norte deste ano. Quem tem projeto deve por em prática e será favorecido.

Queremos trazer estas influencias para o núcleo da cidade de Niterói e seus habitantes. O que muda em 2020? O primeiro fator será a sua governança e seus ajustes. Para o prefeito Rodrigo Neves será um ano muito difícil, pois o signo do quatro requer ajustes exatos e a característica do prefeito é jogar com muitas frentes soltas, se beneficiando, inclusive dos confrontos entre estas frentes soltas.Ele faz política o tempo todo.E este ano, que é um ano de eleição, não vai dar para “jogar nas onze”. Serão necessárias definições exatas. A sua manobra de deixar muitos pretendentes a sua sucessão, soltos e indefinidos, terá fim neste final de ano. Como a sua tendência será a escolha do secretário Axel Grael para ser o “candidato da situação”, essa definição resultará na perda do controle dos demais pretendentes. Aí, terá inicio a avalanche de problemas. Será muito difícil, apesar da máquina, fazer o seu sucessor. E não será apenas pela pouca densidade eleitoral do seu candidato, onde toda “máquina da prefeitura” será insuficiente para mudar esta situação, apesar das qualidades pessoais do Axel Grael. Mas, a partir do momento em que ficar definido este apoio, começarão os ataques sistemáticos ao candidato, na tentativa de desqualificá-lo e enfraquecê-lo definitivamente. Axel passará a ser uma vitrine sujeita a todas as pedras atiradas. Ainda que consiga chegar ao segundo turno, a provável união dos opositores, que receberão ajuda dos próprios atuais aliados, decretará a vitória do candidato da oposição. Estas “previsões” não são especulações. São probabilidades. Estará aberta a temporada de agressões, conspirações e conflitos, inclusive morais.

Quem tem na sua estória problemas que possam complicar-se se tornando candidato, deve desde já desistir do pleito. Esta eleição será a guerra das reputações. Na bagagem de muitos existem armas e deficiências, que serão usadas impiedosamente. Quem tem podres não deverá nem participar com ajudante de outro candidato, pois serão denunciados, e é provável que desta disputa alguém acabe preso e desmoralizado. A melhor conduta é manter-se onde está e não se expor. A inventiva e criatividade serão as mais produtivas e importantes armas nessa disputa, pois a tradicional guerra financeira não existirá. É provável que seja a campanha mais pobre dos últimos 30 anos. Quem tiver algum recurso, já será muito; mas deverá usar com sabedoria. O candidato com maior recall entre todos é o Felipe Peixoto. Tentarão derrubá-lo com difamações, vão arranjar ligações espúrias para ele e tentarão associá-lo ao ex-governador Pezão e a sua passagem com secretário de Saúde. Felipe sofrerá bastante, mas a sua característica de ser persistente , até a teimosia, o impulsionará. A grande dificuldade deste candidato é a escassez de recursos financeiros. A esperança no Fundo Partidário e Eleitoral só lhe trará dissabores e dívidas.

Comte Bittencourt é o mais pragmático de todos. Tem preparo para disputar com tenacidade esta campanha suja que virá. Será muito questionado. Mas,é muito importante, somente entrará nessa disputa se até o momento do registro da candidatura tiver dados comprovados da sua real chance de chegar ao segundo turno. Se passar para esta fase, as suas chances aumentam muito. Ele sabe o tamanho do problema que representará esta campanha na atualidade.

Bruno Lessa está imune a agressões morais, mas já existe uma campanha rasteira que tenta desqualificá-lo como “inexperiente” em cargos executivos. Questiona-se a sua capacidade com gestor. Ele é inteligente o bastante para encontrar meios de contornar estes ataques, principalmente por sua característica verbal. Bruno fala muito bem e argumenta com facilidade num debate. Mas, também terá dissabores e traições na reta final. Deverá estar preparado.

Adroaldo Peixoto tem a seu favor a experiência e a maturidade. Já começaram a tentar desqualificá-lo espalhando pela cidade que ele teria “composto "um acordo com o prefeito Rodrigo Neves, o que não é verdadeiro. O seu partido sim, fez acordo com o prefeito. Mas, esta decisão foi uma negociação por cima. Embora Adroaldo seja o presidente do diretório local, a Comissão Nacional decidiu sem que ele pudesse mudar o fato. Agora ele está de malas prontas para ir para outro partido. É só uma questão de tempo. Mas, prova o que dizemos aqui. Se puderem intrigar e desmoralizar, os opositores o farão. Flavio Serafini sofre campanha acirrada tentando associar o seu nome ao deputado Glauber Braga, que é figura desgastada e muita gente têm verdadeiro horror a ele. Associá-lo a Marcelo Freixo, embora dê prejuízo em alguns grupos, em outros, onde Freixo tem votos, só o eleva. Mas, encontrará resistência dura da população de Niterói, de propensão mais para o centro e com muita gente de direita, que rejeita a esquerda de forma fóbica.

Esta matéria é o resultado de analises e debates entre quatro profissionais: um matemático, especialista em lógica aplicada; um Físico, versado em Quântica e Percepção Extra-sensorial; um publicitário e especialista em marketing; e um jornalista, especialista em analise política.

O número 4 mais uma vez se mostrou.

Rua Cônsul Francisco Cruz, 3 - Centro - Niterói/RJ

2019 | Design By Stilo